sábado, 23 de maio de 2020

Neste domingo (24/05) tem Live Concerto da Orquestra Sesi MT e happening de Rafaell Jonnier abrem Semana da Indústria


Concerto da Orquestra Sesi MT e happening de Rafaell Jonnier abrem Semana da Indústria
Sonoridades da música orquestral e muitas cores em uma obra que levará à reflexão sobre o momento atual da humanidade, a importância do trabalhador e da capacidade criativa. Isso é o que promete a apresentação única da Orquestra Sesi MT, em fusão à performance do artista plástico Rafaell Jonnier, que será transmitida ao vivo neste domingo (24.05), às 17h, pelo canal do YouTube do Sesi Mato Grosso (link).
No concerto especial, que abre a programação da Semana da Indústria, promovida pelo Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (SFiemt), a orquestra irá explorar todo o seu potencial artístico nas suas três facetas: música instrumental regional com contorno contemporâneo, música vocal internacional, na exímia interpretação da cantora  Akane Iizuka, e música vocal nacional, na voz de Samara Poline – ambas com acompanhamento da Orquestra.
“Também teremos a presença da viola de cocho, pelas mãos habilidosas de Sidney Duarte, no sincretismo único entre violinos e violoncelos e a tradicional cultura regional”, informa o maestro Fernando Pereira.
Para além da música, o happening, termo surgido nas artes plásticas no fim dos anos de 1950, do artista Rafaell Jonnier, irá brindando a síntese de tons musicais com as palhetas de cores, em homenagem à indústria e sua capacidade produtiva, criativa e também cultural e artística.
A performance de Jonnier contempla a concepção de uma tela de 1,5m x 2m, que estará posicionada estrategicamente atrás da orquestra. “A inspiração para a obra virá da indústria, da força do trabalhador, em uma mensagem positiva e agregadora”, destaca o artista, ressaltando que para expressar sua criatividade utilizará técnicas e materiais diversos com spray, tinta acrílica e pincel.
A obra, que levará o público a interpretações e pensamentos otimistas, bem como a apreciação da arte, será concebida em 1 hora.
O artista
Rafael Jonnier, artista, empreendedor e graduado em Design de interiores. Nascido em Cáceres (MT), fez seu nome produzindo personagens icônicos, tais como o Pescador de Sonhos e a Princesinha do Rio. Suas obras são repletas de ludicidade com algumas representações figurativas que trazem informações de familiaridade, peculiaridade, pertencimento e identidade com a região onde nasceu.
Em 2018, Jonnier consagrou carreira internacional com sua exposição solo “Origins” tendo como inspiração Amsterdam, cidade que o recebeu como morador. Atualmente, exibe seu mais recente projeto: “Reinno em Evolução”.  Suas obras expressam a maturidade de um artista experiente, contemporâneo e que valoriza suas raízes.

A Orquestra Sesi MT

Composta por 20 músicos e instrumentistas, foi criada em 2019 e é a primeira orquestra de Câmara profissional do Estado. A formação conta com profissionais que atuam na educação musical e integram o quadro de professores do Sesi Escola. Violinos, violoncelos, viola de arco, percussão, canto e viola de cocho integram a formação.
Este espetáculo iniciará com mais um vídeo da série “Sons da Indústria” - uma composição única entre sons e imagens, produzida pela Orquestra, cuja fotografia indústria revela toda poética do trabalho nas empresas e seus sons - que para além de meros ruídos - é uma verdadeira ecologia sonora da vida.

Semana da Indústria
O evento com transmissão online, que ocorre de 24 a 28 de maio, reunirá especialistas e pesquisadores, como o escritor e professor Augusto Cury, a presidente da Falconi Brasil, Viviane Martins, e o pesquisador e presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meirelles.

“Falaremos do novo comportamento do consumidor, novas tendências, e exemplos práticos de ajustes já feitos em diversas companhias pelo mundo. Será uma semana rica pra todos que quiserem entender como deve ser nosso futuro”, enfatiza o presidente do Sistema Fiemt, Gustavo de Oliveira.

quinta-feira, 30 de abril de 2020

OS BENEFÍCIOS DA MÚSICA PARA AS CRIANÇAS EM TEMPO DE ISOLAMENTO


OS BENEFÍCIOS DA MÚSICA PARA AS CRIANÇAS EM TEMPO DE ISOLAMENTO
Foto diviulgação: Ricardo Basso

Nestes tempos de isolamento social, as crianças ficam em um estado de ansiedade e sem conteúdo mental para passar pelo tempo ocioso, sem rotina. Ela organiza nossa maneira de ver as questões sociais, comportamentais e organizacionais. Neste mundo estamos imergidos numa catástrofe psíquica chamada depressão, que assola cada vez mais os lares do brasil e do mundo. De acordo com a OMS (organização mundial de saúde), a depressão cresceu 18 % nos últimos 10 anos. A doença afeta 4,4% da população mundial e 5,8% de brasileiros. Na corrida contra este estado emocional conturbado, precisamos entender os cuidados necessários para não nos depararmos com essa situação. Segundo o ministério da saúde, algumas medidas são importantíssimas para evitar o quadro de depressão em nossas famílias: Ter uma dieta equilibrada, atividade física regular, combater o estresse concedendo tempo na agenda para atividades prazerosas, evitar o consumo de álcool, não usar drogas ilícitas, diminuir as doses diárias de cafeína, ter uma rotina de sono regular, não interromper tratamento sem orientação médica.
A intenção musicoterápica em advento de certas patologias seja de ordem psíquica ou não, tem sempre o objetivo de causar nas pessoas uma sensação de alegria e bem estar, fazendo com que nossa vida seja plena e tenha prazer ao viver nesse plano orquestrado por Deus. A música é uma atividade que desde os primórdios teve o papel no ser humano de trazer alegria, libertar ou até mesmo curar. Seus elementos como melodia, harmonia e ritmo possibilita ao terapeuta que atinjamos um nível de catarse ímpar, favorecendo nosso bem estar. Numa área chamada de hipocampo a música faz seu papel importantíssimo pois é a área do nosso cérebro responsável pelas emoções e que tem uma profunda ligação com memorias antigas. Com isso o terapeuta utiliza essas informações em prol do seu paciente que será muito beneficiado por isso.
Para contribuir para a resolução desse tédio é muito interessante a afetividade familiar e sua completa união nestes tempos. Pois devemos exercitar o amor mútuo e o entendimento de espaço interno X espaço externo. Muito produtivo é a criação de rotinas onde aproximem os pais dos filhos que estudam música. Para isso é super interessante que as redes sociais fiquem de lado, é um tempo de revermos certos conceitos que temos de relaxamento caseiro, com atividades que promovam a auto-estima, amor recíproco com os nossos familiares, atividades de desenvolvimento neuronal. As atividades que a escola passa é uma boa alternativa para trabalhar situações neurológicas pois vamos exercitar funções cognitivas e executivas.
E muito importante lembrarmos que se não cuidarmos da ansiedade e do estresse, em índices elevados poderá progredir a uma depressão.

RICARDO ALBERTO BASSO – Professor de Violão
Escola de Música de Campo Verde

Orquestra Sesi MT realiza live em homenagem aos trabalhadores



Orquestra Sesi MT realiza live em homenagem aos trabalhadores
Com participação especial das solistas Akane Iizuka e Sâmara Poline, além de Sidney Duarte na viola de cocho, o concerto ocorre na sexta-feira (1º de maio), a partir das 17h30.

Com repertório que inclui gêneros populares, eruditos e regionais, em uma só vertente musical, a Orquestra Sesi Mato Grosso realiza a primeira live do segmento no estado. Ao todo, 20 músicos participam do concerto em uma homenagem aos trabalhadores pelo seu dia, comemorado em 1º de Maio. O público pode conferir o trabalho a partir das 17h30, pelo canal oficial do Sesi MT no YouTube  (https://bit.ly/YouTubeSesiMT).
O cenário escolhido foi o Sesi Park, um tradicional ponto turístico da capital cuiabana, que no momento encontra-se de portas fechadas devido às medidas de prevenção ao corononavírus. A live não contará com público presente no local. “Uma grande estrutura de palco, com distanciamento adequado entre os integrantes, iluminação e som de primeira qualidade estão sendo montados para que possamos realizar um lindo espetáculo”, destaca o diretor artístico da Orquestra, Fernando Pereira.
De acordo com ele, com instrumentos de cordas, banda e cantores, o programa da noite conta com arranjos exclusivos produzidos pelo compositor e pianista Fábio dos Santos, também integrante da Orquestra Sesi MT. A participação especial fica por conta das solistas Akane Iizuka, cantora japonesa radicada em Cuiabá, e Sâmara Poline, além de Sidney Duarte na viola de cocho.
Sobre o repertório escolhido especialmente para a ocasião, Fernando faz suspense, mas adianta que entre as canções estão clássicos da música erudita, pop e regional. “São canções conhecidas e admiradas pelo público, nas quais colocaremos a autenticidade e identidade do trabalho realizado pela nossa orquestra”, enfatiza.
Fernando explica que os integrantes do grupo estão em isolamento social desde o início do decreto e, portanto, os ensaios estão ocorrendo também de forma virtual. “Nos encontramos via internet para discutir todo o repertório, se preciso gravamos vídeos e disponibilizamos em plataformas, tudo para que os músicos se preparem e estudem o programa. Na sexta-feira, será um grande reencontro depois deste tempo de quarentena, tomando todos os devidos cuidados, é claro”.
O maestro lembra ainda que será uma oportunidade também de manter o contato com o público cuiabano e mato-grossense.
A Orquestra Sesi Mato Grosso foi criada em 2019 e é a primeira orquestra de Câmara profissional do Estado. A formação conta com músicos que atuam na educação musical e integram o quadro de professores do Sesi Escola. Violinos, violoncelos, viola de arco, percussão, canto e viola de cocho integram a formação.
Para a superintendente regional do Sesi MT, Lélia Brun, “Trata se de um grande momento de valorização da cultura, da arte, da saúde e valorização vida, todos valores que presamos muito em nossa instituição”

Fonte: Assessoria



terça-feira, 10 de março de 2020

Nesta quarta-feira (11/03) acontece o Lançamento do livro “No Limiar” de Milton Guapo no Sebo Raro Ruído e Bar Cão Latino em Cuiabá-MT



Lançamento do livro “No Limiar” de Milton Guapo “No Limiar”, uma novela pós-moderna que tira da zona de conforto cada leitor, mas antes, enfoca os valores e aconchego em que vivemos a beira de um abismo existencial e material e, que não estamos percebendo que luta de classe praticamente não existe mais, casamento monogâmico tornou-se um fardo insustentável, tal como a definição de gênero e etnia, dado que não há mais lugar para essas coisas. As fronteiras se foram, como as areias do deserto que esvai para formar uma nova duna, bem colocada por Mia Couto quando afirma: - “a realidade não é o que existe, mas sim o que acontece”. A cronologia dos acontecimentos nesta obra envolvendo o agronegócio, índios, posseiros numa Amazônia misteriosa real/surreal, vislumbra um futuro próximo no qual os “drones tripulados” e a ferrovia transoceânica muda o cenário do Estado. Os personagens fictícios Obajara e Kunhahendy, agentes índios infiltrados contracena com personagens vivos como Ailton Krenak e Raoni, e até mesmo com personagem alienígena numa epopeia fantástica na região do Araguaia e do Xingu, onde se fundamenta 80% da saga. Esta obra que questiona os valores euro-centristas, a moral judaica cristã e o inexorável caminhar da humanidade rumo a um destino incerto, “onde as reticências são pingos de certeza e de conforto”, dado que as mesmas também tecem o pano de fundo da existência e, que em cada situação de acontecimento na trama, os dois fatídicos bordões, o mistério insistente em querer estar vivo e os inimigos da vida aqui na terra, são as pílulas vermelha e azul que os Neos da saga tem que decidir e engolir uma delas”. Com lançamento nacional sob a responsabilidade dos curadores de arte Amanda Gama e Willian Gama da Galeria Mirante das Artes, em Cuiabá o evento será realizado no Sebo Raro Ruído em parceria com o Bar Cão Latino, nesta quarta feira, 11 de março de 2020 a partir das 19h30min. Como nos outros eventos haverá ainda junto ao lançamento e noite de autógrafos um pocket show com musicas do cancioneiro popular brasileiro do autor e seus convidados: Henrique Maluf, o trompetista Marcos Levi e o percussionista Benê Cintra. O livro “No Limiar” com projeto editorial e gráfico da Carlini & Caniato já teve seu lançamento em São Paulo na Livraria Cultura, Rio de Janeiro no Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense, Belo Horizonte na livraria Asa de Papel Café e Arte e ainda será lançado em Campo Grande, Florianópolis e Brasília.
Sobre o autor Milton Guapo é escritor, pesquisador, cantor, compositor, produtor, diretor musical e consultor técnico cultural. Nascido em Cáceres-MT, descende da velha estirpe pantaneira formadora do Estado. Herdou do seu pai, físico/matemático, e da sua mãe, lavadeira e contadora de histórias, a curiosidade empírica e analítica, o que o faz prolífico e meticuloso com sua arte. Atua como músico há mais de 30 anos; cantou, compôs e gravou, além de CDs, trilhas para cinema, peças de teatro e temas nativistas para a Orquestra do Estado de Mato Grosso. Publicou, em 2010, o seu primeiro livro intitulado “Remedeia co que tem” – um mapeamento histórico sobre a formação básica da musicalidade mato-grossense, que hoje é referência maior para o conhecimento antropológico da sonoridade local. Em 2017, foi reconhecido pelo Ministério da Cultura, através do Prêmio Leandro Gomes de Barros, Mestre da Cultura Popular. Em 2018, publicou “Um pé de verso… outro de cantiga”, seu segundo livro contendo memórias e crônicas baseadas em ditos pantaneiro; tal obra, foi escrita no linguajar vernacular autóctone do Pantanal e Baixada Cuiabana. 

Expediente: 
Lançamento do Livro “No Limiar” de Milton Guapo 
Onde: Sebo Raro Ruído e Bar Cão Latino. 
Endereço: Av. Edgar Vieira, nº 420/420-B - Boa Esperança, Cuiabá - MT, 78068-401. Data e horário: 11 de março de 2020 a partir das 19h30min. 
Valor do livro: 50,00. 

Outras informações: (65) 992511805. Ficha Técnica do Livro: Edição: 1ª • Ano de publicação: 2019 • Tamanho: 13,8 x 20,8 cm. ISBN: 978-85-8009-283-7 • Número de páginas: 368 • Gênero: Literatura / Romance • Editora: Carlini & Caniato • Preço de capa: R$ 50,00.

sexta-feira, 6 de março de 2020

acontece neste domingo (08/03) o SHOW FORÇA MULHER - TERRA | ESTELA CEREGATTI, NO SESC ARSENAL EM CUIABÁ-MT


SHOW: FORÇA MULHER – TERRA | ESTELA CEREGATTI
QUANDO: 08/03
ONDE: SESC ARSENAL
HORÁRIO: 20H
ENTRADA: R$10,00 (INTEIRA) / R$5,00 (MEIA)
CLASSIFICAÇÃO: LIVRE
  
     O show FORÇA MULHER - Terra, traz novas composições da artista cuiabana Estela Ceregatti e releituras de clássicos imortalizados por Mercedes Sosa, Violeta Parra e Milton Nascimento. Toda a sonoridade é permeada pelos poemas das poetas da terra: Luciene Carvalho e Jade Rainho.
   Estela ecoa o canto de tantas outras mulheres e sopra o orgulho de ser espelho da lua e emanação do ventre da terra. Em meio aos cantos que brotam de suas memórias ancestrais e das provocações da atualidade, reflete a figura da filha, mãe, avó, manifesta na anciã - uivo certeiro em ser no mundo. Um abraço forte e irmanado em forma de música, um impulso vital sobre a liberdade de sermos quem verdadeiramente somos. Força Mulher é canto que insiste em espalhar amor e gratidão.
   O show conta com os renomados músicos: Jhon Stuart (contrabaixo acústico, piano e arranjos/ produção musical), Manoel Neto (guitarra e violão), Yndira Villaroel (violino) e Rykaelle (trombone). A cenografia é de Daniela Monteiro, iluminação é de Karina Figueredo, direção cênica de Daniela Leite e concepção artística-musical de Estela Ceregatti. O show também conta com a participação da musicista Iva Marques (tampura indiano).

HIP HOP MT: Programação “Mês do Hip Hop” - maior evento da cultura no Brasil, tem DJ Spinha, Breno Dz6 & Cuiabang


HIP HOP MT: Programação “Mês do Hip Hop” - maior evento da cultura no Brasil, tem DJ Spinha, Breno Dz6 & Cuiabang

“Pode acreditar! um novo caminho ainda existe, caminhe com fé”, essa é a mensagem em rima do Cuiabang na música “Pode acreditar”. Lançada em 2013, é uma música sobre superação, sonhos, valorização e reconhecimento dos potenciais da comunidade que ganhou um clipe gravado na pista de skate “Verdinho”, no bairro CPA - território que promoveu a difusão da cultura de rua no Mato Grosso.

E por falar em cultura de rua no Mato Grosso no contexto contemporâneo é necessário no ano em que a cultura celebra 30 anos, trazer um breve panorama da trajetória dessa cultura. Partimos então da década de 80, em Cuiabá na região norte, nas ruas do bairro CPA IV e Jardim Brasil, jovens se reuniam para ouvir James Brown, Earth, Wind & Fire, Michael Jackson, Thaide e DJ Hum, Racionais MC´s, Athalyba & a Firma, Consciência Humana,  entre outros. Esses jovens percorriam os movimentos culturais e concursos de dança, o funk e o soul se tornaram ritmos populares da época, é o fenômeno dos bailes de Black Music em Cuiabá. E a submersão de jovens da periferia de Cuiabá no Mundo da Música como estratégia de sobrevivência e superação ante aos desafios cotidianos, desapertava a consciência social, e conscientes de sua realidade montaram o grupo “Marginais do Funk” – marginais por serem moradores dos bairros que compõe a margem da cidade, afastados do centro.
Com cerca de 20 jovens integrantes, o grupo difundiu a Cultura de Rua em Cuiabá, ocuparam com arte e cultura o Centro Comunitário do CPA IV, Escolas Estaduais como Newton Alfredo, Victorino Monteiro, promoveram pontos de encontro da juventude em frente a Escola Estadual André Avelino, e as vivências de jovens em viagens para São Paulo promoveu a conexão  com os conhecimentos e saberes da Cultura Hip Hop, surgindo a partir daí o primeiro grupo de RAP do estado de Mato Grosso “Revolução Rap”, a primeira Posse de Hip Hop o “MT Rappers” e a Crew de Breaking “B.Boys Attack Cia”.
Essa história é pertencente na carreira artística de DJ Spinha, “cpayorkino” que percorre o Mato-Grosso disseminando a Cultura Hip Hop via ações coletivas, com atividades de formação, programa de rádio comunitária, e cinema - nicho no âmbito de conectar as produções musicais como trilhas sonoras de produções da sétima arte local.
De Cuiabá Pro Mundo!

Spinha projeta há muito tempo pilotar uma nave que está sendo construída por muitas mãos e mentes, com missão sincera e... de levar o Rap, a Música Urbana de Cuiabá, do Mato Grosso, pro mundo. E entre tantos voos programados (shows, disco de vinil e projetos audiovisuais) para o ano de 2020, o próximo lançamento assim como todos os outros será tripulado por Mato-grossenses. No próximo dia 07 (sábado), DJ Spinha convida Breno DZ6 & Cuiabang para  show na cidade de São Paulo no Deck do Largo São Francisco/Sé, localizado no Triângulo SP, um recorte especial do Centro Histórico paulistano com vocação turística e que reúne os principais prédios históricos da cidade.

Eles apresentam o show #Cuiabanagem que homenageia a cidade verde e suas linguagens, e vai evidenciar a carreira musical do Cuiabang com as composições que retratam o cotidiano das ruas com rimas e poesias. O show também terá espaço para apresentação dos projetos solo de Breno Dz6 e Gabriel.

#Vai Lançar as Brabas!
Breno DZ6 vai apresentar em primeira mão músicas que vão compor seu disco solo. O disco tem fusão de vários ritmos com parcerias, entre elas DJ Cabide e o Cantor Vadinho Freire (RJ). O disco também terá música com produção de Slim Rimografia (SP) e beatmaker de Cuiabá.

#É HitMaker, fio!
Gabriel speed flow e freestaleiro (rimas de improviso) leva ao palco singles que fazem parte de sua primeira mixtape a ser lançada nos próximos meses pelo Studio Zero65 com produções de Xinn Beats.



Mês do HIP HOP 2020
A apresentação musical faz parte da programação “Mês do Hip Hop 2020”, realizada pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. E o Lançamento da 16ª edição do mês do Hip Hop, aconteceu nesta terça-feira (03) no Teatro Municipal de São Paulo com Apresentação do Projeto Orquestra Beat Brasilis feat. Stefanie, Tassia Reis, Rincon Sapiência, Gabi Nyarai e Laysa.
Mais de 900 atrações fazem parte da programação, que vai promover ações com objetivo de fomentar a cultura Hip Hop, através de debates, apresentações artísticas, intervenções e oficinas dos 4 elementos (Breaking, Graffitti, MC e DJ)  nos equipamentos municipais como Bibliotecas, CEU´s, Casas de Cultura, Casas do Hip Hop, Centros culturais e espaços públicos, que visam garantir visibilidade ao movimento Hip Hop e sua intervenção na cidade; ampliar o debate sobre políticas públicas para juventude; contribuir para o combate à discriminação de raça e gênero; proporcionar espaços de reflexão dos temas; contribuir para a luta contra o genocídio da juventude pobre, preta e periférica e propor uma agenda do Hip Hop na cidade.
A ação é realizada com representantes, ativistas e artistas do movimento Hip Hop, que em conjunto com o poder público municipal, propõem atividades em 06 macrorregiões da cidade oeste, norte, noroeste, centro, sul e leste, dentro do mês do Hip Hop, atendendo ao disposto na lei que torna obrigatório a realização de ações abarcando o dia 21 de março dia internacional de luta contra o racismo. E está assegurada pela Lei Municipal 14.485/07, faz parte do calendário oficial de eventos do Município de São Paulo, reunindo os admiradores da cultura, dentre estudantes, profissionais, realizadores e público em geral, que podem conferir uma extensa programação gratuita.
“A Cidade de São Paulo é o berço do Hip Hop no Brasil e o mês do Hip Hop celebra a cultura e da continuidade a historia de luta e conquistas estimulando a arte, a cultura e ensinando interagindo com jovens e adolescentes”. Rapper “Xis” - Coordenador de Hip Hop da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo sobre Ação “Mês do Hip Hop”.
Berço do Hip Hop no Brasil!
No Brasil, o Largo da São Bento no Centro da cidade é o berço da Cultura Hip Hop, o local tem uma estação de metro, é o que também viabilizava o encontro de jovens de varias regiões da cidade de São Paulo que tinham em comum a admiração pela dança, pelo rap. O local recebia também jovens de outros estados que viajavam até São Paulo para participar dos encontros e vivencias em rodas de dança de rua e rimas. O Hip Hop se expandiu, alcançou todo o Brasil, cresce em alcance de público e está ocupando espaços e construindo políticas públicas permanentes para a linguagem Hip Hop.

Hip Hop no Mundo!
O Hip Hop está entre as linguagens que mais cresceram nos últimos anos, no âmbito da música, o Rap superou inclusive o Rock como gênero musical popular nos EUA, resultado das vendas de álbuns, músicas e streaming.  Existe uma série de atores envolvidos no desenvolvimento da cultura, que inclusive estão trabalhando na inauguração do Museu Universal do Hip-Hop de Nova York (UHHM) que está programado para ser inaugurado em 2022 no Bronx.

Por Núcleo de Mídias Livres


Cine Teatro Cuiabá recebe a peça Todos os Sonhos do Mundo de Ivam Cabral, neste sábado (07/03) no Cine Teatro Cuiabá

Cine Teatro Cuiabá recebe a peça Todos os Sonhos do Mundo de Ivam Cabral
Para celebrar seus 30 anos de carreira, o ator e dramaturgo Ivam Cabral, da companhia Os Satyros, apresenta seu primeiro solo / recital "Todos os Sonhos do Mundo", neste sábado, 07 de março, às 19h30. Na peça, Ivam narra sua trajetória artística intercalada com aspectos de sua vida pessoal, em especial sua batalha diária contra uma grave depressão.
A peça conta o princípio, quando o ator relutava em aceitar a doença ou buscar tratamento adequado. Ele encontrou uma ajuda essencial em um livro, “O Demônio do Meio-Dia”, de Andrew Solomon.
A ideia para a performance começou a tomar corpo em 2014. Sem jamais ter atuado em um monólogo antes, Cabral e o diretor Rodolfo García Vázquez começaram a elaborar uma montagem solo multifacetada, com aspectos líricos, dramáticos e performativos. De cara limpa, Ivam Cabral estaria em contato direto com o público, contando essas histórias duras, mas saborosas, permeando-as com a leitura de poemas, sobretudo de autores que se suicidaram ou também sofriam com depressão.
Serviço:
Peça Todos os Sonhos do Mundo
Ficha Técnica - Direção: Rodolfo García Vázquez; Atuação: Ivam Cabral
Horário: 19h30 | Duração: 60min
Classificação: 12 anos
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) R$ 10,00 (meia)

quarta-feira, 4 de março de 2020

Cantores se unem para cantar a dor, a vida, a morte e o amor, nesta sexta-feira (06/03) no SHOW SIMPLES ASSIM, no Metade Cheio em Cuiabá-MT


... Simples assim... Cantores se unem para cantar a dor, a vida, a morte e o amor
Simples assim. Três pessoas apaixonadas por música decidem se juntar para realizar um show em que abrem seu baú de memórias para entregar ao público algumas canções menos presentes no dia a dia de todos. Algumas são quase desconhecidas, mas nem por isso menos belas; outras remetem a lembranças de infância, adolescência, ao inconsciente comum. Há também aquelas que a maioria sabe cantar nem que sejam alguns versos mais conhecidos.
“...Simples assim” é o nome do show/recital que três cantores de gerações diferentes vão apresentar no Metade Cheio, na próxima sexta-feira (6 de março). A ideia partiu da jornalista Martha Baptista que, ao longo de três anos de convivência no Coro Experimental MT descobriu afinidades musicais com o maestro, regente e cantor Jefferson Neves e a cantora Vera Capilé. Durante um intervalo num ensaio no ano passado, Jefferson começou a tocar algumas canções ao piano, quando Martha e Vera se aproximaram, sugerindo alguns títulos e se entregando ao prazer do canto improvisado por alguns minutos.
No início deste ano, Martha resolveu propor aos dois uma apresentação em que reunissem algumas dessas músicas que lhes despertaram tantas emoções. O repertório deste show foi sendo definido aos poucos, contemplando o gosto eclético do trio, que inclui canções de Antônio Carlos Jobim, Dolores Duran, Caetano Veloso e Gilberto Gil, entre outros compositores, e várias surpresas. É claro que Chico Buarque não poderia faltar e o difícil para os três cantores foi escolher apenas algumas canções entre tantas que lhes falam ao coração.
Uma vez definido o repertório, Jefferson, Martha e Vera decidiram quais seriam interpretadas em número solo, em duetos e trios, onde três vozes distintas (um barítono, uma contralto e uma soprano) se encontram para realçar a força de melodia e letra. Os três decidiram convidar dois músicos com quem têm grande afinidade para reforçar o time: Eduardo Santos (violão) e Juliane Grisólia (percussão).
O resultado deste encontro musical poderá ser conferido na primeira sexta-feira de março no Metade Cheio, um local diferenciado e aberto a novas propostas. 
Serviço
O que: Show ... “Simples Assim”
Onde: Metade Cheio, na Rua Comandante Costa, 381, Centro   @metade.cheio
Quando: 6 de março (sexta-feira), às 20h
Quanto: R$ 20,00


segunda-feira, 2 de março de 2020

Casa Cuiabana é revitalizada e obra será entregue nesta segunda-feira (02/03)

Fachada da Casa Cuiabana após revitalização - Foto por: João Felipe - Secel
Após 10 anos sem receber uma obra completa de manutenção predial, o Centro Cultural Casa Cuiabana começa 2020 oferecendo melhor infraestrutura para os artistas, produtores culturais e público. O espaço, que é muito utilizado em projetos artísticos de formação cultural e eventos, foi revitalizado, e a obra será entregue nesta segunda-feira (02.03), às 19h, pelo governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec Benitez. A cerimônia contará com apresentações artísticas de dança e música, e é gratuito para a população. A atração especial será um show do trio Pescuma, Henrique e Claudinho, comemorando 25 anos do grupo.
A cerimônia será marcada pelo lançamento do novo projeto de ocupação da Casa Cuiabana, aproveitando nove salas como espaços de criação artística e co-working. O superintendente de Políticas Culturais da Secel, Jan Moura, explica que, entre as melhorias, serão instalados novos equipamentos de som e iluminação para propiciar um ambiente adequado aos ensaios e apresentações de teatro e dança, por exemplo. Também será montado um estúdio de gravação musical e, no quintal cuiabano, haverá uma tenda para os shows abertos, cobrindo a arena quando houver necessidade.
Entre as melhorias já realizadas na infraestrutura do prédio estão acessibilidade, instalações elétricas, hidráulica, esquadrias, cobertura, banheiros, forro, pavimentação, piso antiderrapante, praça e jardim. Uma das mudanças perceptíveis é a nova pintura, em tom de amarelo na fachada, que busca trazer a cor original da edificação, construída no século 18. Patrimônio histórico e cultural desde 1983, vale ressaltar que a obra de revitalização respeitou e preservou as características originais do prédio. A novidade é o acesso à internet, que era uma demanda antiga dos usuários do espaço cultural, e agora será disponível para o desenvolvimento dos projetos.
Mesmo com a obra, que durou em torno de quatro meses, a Casa Cuiabana ficou aberta, e manteve a programação de eventos e projetos de formação de música, teatro, dança, informática, artes plásticas e capoeira. Para o mês de março, o espaço já tem programado três eventos (Feira de Mulheres Empreendedoras (07), evento de capoeira (14) e Feira do Vinil e de Antiguidades (21), todos aos sábados). Também está aberta para o público a exposição Irigaray – Arte – Ikuiapá, com obras inéditas do artista, até o dia 07 de março.
Assessoria de Comunicação 
Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel/MT)
(65) 3613 0225

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Oficina de iluminação cênica “Pensando e fazendo a luz” abre ciclo de capacitação e formação do Arvinte, acontece neste domingo (01/03) no Espaço Mosaico em Cuiabá-MT


Oficina de iluminação cênica abre ciclo de capacitação e formação do Arvinte
Além de oficinas gratuitas, artistas podem participar de palestras para aprimorar processo artístico
Um dos profissionais das artes cênicas dos mais respeitados de Mato Grosso, o técnico de iluminação Lourivaldo Rodrigues abre o ciclo de capacitação do projeto de residência artística Arvinte.
Na oficina “Pensando e fazendo a luz” ele ensina como criar um projeto de iluminação para espetáculos de teatro, dança ou performance. A atividade ocorre no próximo domingo (1º.03), das 14h às 19h, no Espaço Mosaico. A entrada é gratuita e não necessita inscrição.
Ele explica que os presentes aprenderão a construir um esboço teórico-prático de iluminação. “E aí, inclui-se o desenho, idealização, manejo de equipamentos e prática da iluminação”.
Experiência na área ele tem de sobra. Responsável por uma das empresas mais tradicionais da capital, a Hiald Iluminação, sua trajetória é expressiva. Foram inúmeros os espetáculos em Mato Grosso que contaram com sua assinatura, ao longo de mais de duas décadas. 
Lourivaldo começa a oficina, explicando sobre os equipamentos que podem ser utilizados em quaisquer processos criativos. Na etapa “A luz na prática - Focos, contraluz, luz lateral, pinos e mais!” os participantes vão manipular os equipamentos para acertar medidas de foco, projeção de luz e contraluz.
Na sequência Lourivaldo estimula os presentes a pensarem sobre os processos criativos para construção de uma iluminação. Por fim, é hora de colocar os conhecimentos adquiridos e projetos em prática. Ele também dá dicas sobre a finalização.
Arvinte
O Arvinte é um projeto de residência artística que prevê a ocupação de espaços públicos da capital por dez coletivos de artes cênicas da cidade, a partir do dia 28 de fevereiro. Idealizado por Luiz Marchetti e Caio Ribeiro, foi aprovado por edital da Prefeitura de Cuiabá.
O ciclo de apresentações de trabalhos de teatro, dança, performance e intervenção urbana – estejam finalizados ou em progresso – começa no dia 28 de março. O Arvinte encerra em 16 de abril.
Mas, paralelamente, em sua programação haverá atividades de capacitação e formação a artistas que atuam na capital. Além da oficina de iluminação ministrada por Lourivaldo Rodrigues prevê ainda ações voltadas à reflexão. 
O Arvinte Diálogos será realizado no Palácio da Instrução e contará com duas rodas de conversa abertas ao público.
No dia 15 de março, das 18h às 22h, a professora doutora Marithê Azevedo fala sobre a "Ocupação socioestética, poéticas urbanas e modos de estar na cidade". Já no dia 21, Johana Albuquerque ministra a palestra “Disparadores Irreverentes na Dramaturgia Contemporânea”, das 18h às 22h.
Haverá ainda uma oficina com conteúdo para subsidiar artistas no relacionamento com a imprensa, ministrada pelos jornalistas Maria Clara Cabral, Marcos Salesse e Lidiane Barros. No entanto, esta atividade é restrita aos artistas contemplados pelo edital Arvinte.
Serviço:
Oficina de Iluminação com Lourivaldo Rodrigues
Dia 1º de março (domingo), das 14h às 19h
Vai ser no Espaço Mosaico: R. Mal. Floriano Peixoto, 512 - Quilombo
Mais informações: (65) 3054-0697

mais informações: 
Lidiane Barros

(65) 99242-8886